terça-feira, 15 de maio de 2012

[Fanfic] O Fim da Herdeira


Kandara abriu os olhos lentamente, vendo uma forte luz branca, e logo suas pálpebras ficaram pesadas e o torpor tomou conta dela.
~~

                – Logo ela acordará, melhor sairmos daqui. – uma voz grave sussurrou à outra pessoa. Logo ela ouviu passos, e o barulho de uma porta sendo fechada com delicadeza.
                Ela tomava consciência de seu corpo lentamente, o cérebro trabalhando incansavelmente para entender o que acontecera. Estava deitada em uma cama macia, com travesseiros de plumas sob sua cabeça. Tentou mexer seus braços, mas não obteve resultado. Com o pânico começando a tomar conta dela, tentou mexer as pernas e novamente não obteve resultado algum.             
                Abriu os olhos e viu-se num quarto bem iluminado, com grandes janelas e decoração em cores claras. Ergueu a cabeça no intuito de olhar seu corpo – o que parecia ser a única coisa que podia fazer – e notou que seus braços e pernas estavam firmemente amarrados à cama. Havia um tubo conectado à seu braço esquerdo e ligado ao tudo, uma bolsa com líquido transparente que ela concluiu ser o responsável por sua paralisia.
                – Inacreditável! – Kandara murmurou, a voz rouca, lembrando-se de Garo-lin e junto desta, uma enxurrada de lembranças invadiu sua mente: ela lutando com sua mãe, desviando-se de uma grande bola de fogo e sendo atingida em seguida por uma adaga de Pedra Escura. Krission tomou-a em seus braços e disse para que os outros fossem sem ele. A dor em seu peito tomou conta de todo o corpo, as pálpebras ficando pesadas.
                Por mais que Kandara se esforçasse, não conseguia lembrar de mais nada que poderia ter acontecido em seguida e se obrigou a concluir que perdera a consciência desde então.
                Pensou em como estariam Krission, os outros Dragões, Garo-lin e os kodorins. Preocupou-se com o que poderia estar acontecendo, e numa atitude desesperada pôs-se a gritar:
                – Eu quero sair daqui! Quero falar com a Senhora do Fogo! – ordenou às paredes, sabendo que alguém a ouviria, aos berros.
                Um homem de pele negra, vestindo roupas brancas entrou no quarto e calmamente pediu que ela se acalmasse e avisou que a Senhora do Fogo estava à caminho.
                Kandara, imobilizada do pescoço para baixo, limitou-se a fechar os olhos e esperar, ofegando. Parecia que até mesmo para falar ela fazia grande esforço. Dada a demora de sua mãe, Kandara começou a tentar usar seu almaki. Concentrou-se e depois de alguns minutos sem obter nem mesmo uma faísca avermelhada, e com os olhos embaçados pelo esforço da concentração, Kandara desistiu. Seus pensamentos não paravam de levá-la até as bolinhas de ressonância almaki.
                – Ora ora, se minha filha querida e amada não está acordada! – Kronar falou irônicamente, fechando a porta do quarto ao entrar.
                – Olá mamãe. – Kandara tentou manter o tom mais diplomático possível.
                – Você passou um bom tempo desacordada. – ela sorriu, a máscara de bondade cobrindo o esgar que enchia sua voz.
                – Porque você fez isso? – Kandara inquiriu.
                – E não é óbvio? – Kronar sorriu abertamente – Você estava corrompendo meu menino, e me livrar de você seria a melhor maneira de limpar Almakia.
                – Como assim se livrar de mim? – Kandara sentiu que havia mais por trás disso. Sempre havia um plano formado na cabeça de sua mãe.
              – Você está morta! – Kronar abriu um jornal onde Kandara chocou-se ao ler a manchete “ O Luto da Família de Fogo” e a foto de sua mãe ao lado de Krission.
                – Como assim? – Kandara estava perplexa.
               – Eu a atingi com uma adaga de Pedra Escura, ela sugou todo seu almaki, mas não te matou. Krission não sabe disso, acredita que você morreu nos braços dele e se culpa. – Ela gargalhou ao ver a expressão da filha.
                Kandara lembou-se novamente de Krission a tomando em seus braços e arrancando a adaga de seu peito, seus olhos se encheram de lágrimas, mas Kandara se recusou a chorar em frente à mãe.
                – Nunca tive a intenção de te matar, mas eu precisava abrir os olhos de Krission e arrancar o líder daquela rebelião, desestruturá-los, pará-los ao mesmo por enquanto.
                Kandara nunca se sentira tão traída e desprotegida. Sua mãe não pensara duas vezes antes de arrancar seu almaki. Sua própria mãe.
                – E não se preocupe, porque se você se comportar, posso devolver os movimentos do seu corpo. Isso é provisório. – Kronar indicou o tubo em seu braço.
                Mas Kandara não queria suas pernas e braços, queria seu almaki, sua essência.
                Sem se despedir, Kronar foi até a porta mas antes de fechá-la murmurou:
                – Eu não poderia te matar. Você é minha filha.
                Totalmente impotente, Kandara deixou que as lágrimas escorressem livremente por sua face e abrigou-se no torpor, onde nada poderia atingi-la. Nem mesmo sua mãe. Nem mesmo a tristeza de ter perdido sua essência.

18 comentários:

  1. Curti muito a fic!!! Congrats!!! Espero mais fics desse livro hehehe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E se depender de mim, virão muitas mais!
      Obrigada!

      Excluir
  2. Eu não devia ter falado tecnicamente, não? xD
    Eu adorei, Elô! xD E vc quase acertou! Mas esse era o desenrolar mais bonzinho que eu tinha pensado xD Aguarde e vc vai entender xD

    ResponderExcluir
  3. Eu quero muito saber disso! Que bom q gostou... Vou escreveu mtas mais assim q recuperat meu note.

    ResponderExcluir
  4. Ah, eu tinha que vir ver, quando falou de fanfic e do livro da Lhaisa quase surtei! Meus parabéns á ambas, porque é um carinho tão bonito ver seu trabalho reproduzido dessa forma. Quem escreve fanfics sabe como a gente fica se sentindo parte da obra do autor. Sou ficwriter e sou autora, pôxa, fiquei realmente emocionada e exultante como a fic! Posta no Nyah! Eloise, conhece o site? É bem legal lá!
    Sucesso ás duas!
    Beijooooos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou postar sim. So que estou sem pc agora mas assim que eu recupera-lo vou postar la. Todas as minhas fics estao la ja.( desculpa a falta de acentuacao, mas estou usando o celular. Obrigada por comentar

      Excluir
  5. BEM QUE PODIA SER ASSIM, PELO MENOS VIVA E SEM ALMAKI DO QUE MORTA ~chora histericamente~ muito boa sua fic, me deu uma ponta de esperança apesar de tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu tentei colocar nela, toda aquela esperança que eu tinha quando terminei ~ acho que consegui XD Eu sabia que ia gostar! Arigatou por ler ^^

      Excluir
  6. Emocionei ... lindo.... quero mais...
    Aí meu deus..
    mais uma fã
    beijos mila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado!


      E obrigada por comentar!

      Excluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei mesmo, e vou querer acompanhar sua história claro...
      Pena que não tem Follow by Email...
      porque a cada atualização aparece no nosso e-mail..

      beijos
      http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

      Excluir
    2. Er, ela é uma oneshot, e creio que não terá continuação... talvez, algum dia, mas acho que não ^^

      Excluir
  8. Fiquei até arrepiada! KANDARA VOLTA!!! <3
    (Lhaisa, sua sem coração!) Hahahahaha.
    s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quase morri chorando quando escrevi, e choro lendo ela até hoje. Quero a Kandara de volta!

      Lhaisa é sem coração mesmo!

      Excluir

Faça um autor feliz! Deixe seu comentário aqui: